A importância do brincar para crianças autistas.

O brincar é uma das formas mais comuns do comportamento infantil, é uma condição essencial para o desenvolvimento da criança. Através do brincar a criança conhece o meio em que vive e interage com o mesmo, desenvolve suas habilidades, criatividade, inteligência e imaginação. A experiência do brincar possibilita a criança um melhor conhecimento de si mesma, facilitando também no processo de socialização, devido a situações vivenciadas com outras crianças, ou seja, brincar é uma atividade lúdica, prazerosa e livre.
O brincar possibilita à criança vivenciar todas as experiências que precisa para seu desenvolvimento e dentro de situações cotidianas em que precisa resolver. Com isso suas habilidades são potencializadas e consegue passar para um maior nível de desafio do estágio seguinte. O brincar é um lugar seguro de experiências, e por isso nenhuma criança deve ser privada de vivenciá-la.
A brincadeira é como uma forma de comportamento social, onde as ações lúdicas da criança têm como referências as experiências do meio (família, comunidade, escola, natureza, etc.) que a rodeia. Desta forma, a criança compreende o mundo reconstruindo à sua maneira, ao seu tempo e no seu espaço. A brincadeira se caracteriza por alguma estruturação e pela utilização de regras (explícitas e implícitas) com flexibilidade. (ALMEIDA, 2014, p. 44 apud CIPRIANO E ALMEIDA, 2016, p. 87).

Transtorno do Espectro Autista (TEA).
O autismo é classificado como um distúrbio global do desenvolvimento, no qual há um comprometimento em diversas áreas do comportamento e do psiquismo. Na descrição da Classificação Internacional de Doenças - CID 10 (Organização Mundial da Saúde, 1993), essa patologia é definida como um transtorno invasivo do desenvolvimento, identificado pelo surgimento antes da idade de 3 anos e “pelo tipo característico de funcionamento anormal em todas as três áreas de interação social, comunicação e comportamento restrito e repetitivo” (p. 247).
Para a criança dentro do Transtorno do Espectro Autista (TEA) a estimulação precoce e consistente através do brincar é uma das formas mais naturais e efetivas para o desenvolvimento da criança que tem transtorno do desenvolvimento, muitas vezes marcado por inabilidade para interagir socialmente, dificuldade no domínio da linguagem e comportamento restritivo e repetitivo.

A criança autista e o brincar.
Crianças com autismo têm algumas peculiaridades. Por exemplo, elas costumam ter mais dificuldade nas interações sociais e menos tolerância a sons e a toques. Mas isso não quer dizer que não precisem brincar. Pelo contrário! As atividades lúdicas são ótimas para um desenvolvimento saudável e proporciona vários benefícios, dentre os quais podemos destacar:

  • Estímulo à interatividade.

Durante o brincar, a criança é estimulada a interagir com os colegas. Isso é importante, já que o relacionamento social é uma das maiores dificuldades de quem tem TEA (Transtorno do Espectro Autista).
E fazer isso em um momento lúdico é um modo de contribuir para esse desenvolvimento, sem forçá-la a algo. A partir disso, a criança vai criando mais autoconfiança na relação positiva com o outro.

  • Desenvolvimento cognitivo.

Algumas brincadeiras favorecem o desenvolvimento da concentração e da atenção. Isso é importante, já que a tendência é o envolvimento no próprio mundinho interno. A percepção e a linguagem são outros ganhos e eles ajudam também na interação social.

  • Consciência corporal.

Habilidades motoras e noção de espaço precisam ser trabalhadas desde cedo, pois isso facilita um crescimento saudável, dando ao pequeno mais chances de aproveitar as diversas oportunidades.

Brinquedos ideais para crianças autistas.
Os brinquedos devem proporcionar momentos felizes e divertidos, mas também devem incentivar o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, motoras e de concentração. Alguns brinquedos são especialmente indicados para crianças autistas, pois trabalham mais especificamente essas habilidades. Quebra-cabeças, jogos da memória, kits de desenhos, blocos de encaixe e brinquedos de madeira para colorir são exemplos de alguns brinquedos que proporcionam o desenvolvimento da atenção, da concentração, do raciocínio e de noções de sequência, além de estimularem o desenvolvimento da expressão e da interação social.


Fontes:
SANTOS, Gislane de Lima e PESSOA, Jéssica das Neves: “A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA”. UFPB/2015.
MARTINS, Alessandra Dilair Formagio e GÓES, Maria Cecília Rafael de: “Um estudo sobre o brincar de crianças autistas naperspectiva histórico-cultural”. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, SP. Volume 17, Número 1, Janeiro/Junho de 2013: 25-34.
INSTITUTO FAROL/2021: https://www.institutofarol.com/post/a-import%C3%A2ncia-de-brincar-no-tea.
IPA BRASIL/2020: https://www.ipabrasil.org/post/brincar-para-a-crian%C3%A7a-autista.


Imprimir  

Posts relacionados