Brincar é coisa séria!

Destacamos aos pais e educadores a importância de nos envolvermos e observarmos nossas crianças brincarem, pois através delas descobrimos muito das crianças e brincando junto aumentamos a confiança e admiração que as crianças sentem por nós, fortalecendo vínculos de amor e confiança.

Brinquedos adequados e importantes para cada faixa etária:
Até 11 meses: Até três meses de idade brincar com as mãos, com a boca e com os pés são as melhores opções para os bebês. Após essa idade o bebê já começa a prestar mais atenção nas brincadeiras proporcionadas por adultos, acompanhando com olhares. Logo inicia a fase de ele querer estar sempre segurando alguma coisa em suas mãos.
Assim que sentar vai precisar de brinquedos bem coloridos que lhe incentive a pegar. Rola-rola, bola de balão e de espuma são ótimas opções, pois ao rolar irá incentivá-lo a buscar.
Até um ano a criança vai precisar de brinquedos/objetos que possa morder, agarrar, apertar, manipular, deixar cair e rolar.

1 ano: A criança nessa fase está descobrindo sua força e potencialidade. Brincar com ela de apontar e falar as partes do corpo repetidamente ajudará muito em suas descobertas. Ela tentará pegar, por na boca, carregar, jogar e movimentar tudo que encontrar pela frente, por isso, todo cuidado é pouco! Brinquedos de empilhar, encaixar, movimentar com as mãos, como: chocalhos, espumados, bolas, aramados e caixas são ótimas opções.

2 anos: Nesta idade o que as crianças mais querem é demonstrar que conseguem pegar, jogar e derrubar, e como adoram tudo que é colorido, quanto mais bagunça tiver, mais colorido o espaço estará. Seu filho vai adorar fazer, desfazer e refazer até cansar. Por isso, abuse dos brinquedos de montar, desmontar e pranchas de seleção.

3 anos: Seu filho vai adorar brincadeiras com massinha, tinta, argila, terra e areia, nessa idade adoram uma meleca. A criatividade começa a se desenvolver e rabiscos começam a aparecer por todo o canto. Por isso uma lousa seria um ótimo incentivo a arte de desenhar e pintar. Brinquedos que a criança possa fazer ou personalizar também são ótimos aliados pois fazem com que a criança valorize suas próprias criações, adquirindo mais confiança em si própria. Isso se houver um incentivo e uma valorização do adulto, caso contrário o resultado será inverso.
É importante nessa fase apresentar-lhe brinquedos que desenvolvam o raciocínio e a coordenação motora; quebra-cabeça com poucas peças, alinhavos e jogos de memória são ótimos favorecedores.

4 anos: Nessa fase começam as brincadeiras de faz-de-conta, é comum a criança imitar pessoas e representar cenas de seu cotidiano. É a idade em que as meninas querem ser princesas e os meninos, super heróis. Para deixar as brincadeiras de faz-de-conta mais divertidas, máscaras, fantoches e fantasias são boas sugestões. É uma idade bacana para aprender muitas coisas, inclusive para ter senso de responsabilidade. É possível brincar de casinha, de escolinha, de mercadinho, de bicicleta e de interpretar profissionais. Essas brincadeiras permitem as crianças adquirirem responsabilidades.

5 anos: Sem esquecer-se de todas as brincadeiras anteriores que devem continuar fazendo parte do dia-a-dia de crianças dessa idade, em especial as brincadeiras de faz-de-conta, essa é a idade ideal para apresentarmos brincando o mundo do letramento de uma forma mais clara e esclarecedora. Oportunizando as crianças o contato com letrinhas e números no seu cotidiano, em casa e na escola. Jogos com a família e leituras não podem deixar de faltar! Letras de banho, alfabeto móvel, bingo das letras e tentativas de escrita em lugares criativos como na areia, no box, na lousa e na geladeira com letras magnéticas são excelentes para um aprendizado prazeroso.

6 anos: A fantasia perde um pouco o espaço e a criança começa a construir sua identidade. Já possui opiniões formadas e prefere escolher suas próprias brincadeiras. É necessário incentivar atividades que exijam mais raciocínio lógico, como jogar dominó, cartas e jogos de tabuleiro. Apresentar-lhe a competição como algo que exige determinação, conhecimento, força e coragem é preciso para que ela entenda que podemos ganhar e perder e que isso faz parte de qualquer jogo e que nos deixa mais fortes e preparados para próxima partida. Os jogos que propõem encontrar soluções para pequenos problemas também são excelentes para a idade, inclusive quando envolvem letras, números e operações simples, auxiliando divertidamente o processo de alfabetização.


Imprimir  

Posts relacionados